Rússia quer aumentar número de fornecedores de carne no Brasil

A Rússia quer aumentar o número de fornecedores de carne no Brasil. Durante uma visita de onze dias, uma delegação russa vistoriou novas plantas em seis Estados do país. A missão mobilizou os exportadores brasileiros que têm no mercado russo o principal destino dos embarques.

Atualmente, a Rússia é o principal mercado para as carnes brasileiras. Nos suínos, chega a representar quase a metade do volume exportado. Já na carne bovina, até o ano passado, respondeu por 42% dos embarques. Neste ano, o volume caiu para 23%. Mesmo assim, na opinião das indústrias, pela importância deste mercado, é preciso se adaptar às exigências dos russos.

Como grande comprador do produto brasileiro, a Rússia faz visitas periódicas aos frigoríficos. O grupo encerrou nesta sexta, dia 23, em São Paulo um roteiro que começou no dia 12 de abril. Durante os 11 dias que estiveram no Brasil, os russos visitaram frigoríficos de Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina e São Paulo, com o objetivo de vistoriar os procedimentos sanitários da indústria brasileira de carnes.

De acordo com o chefe da delegação, Alexei Chastov, alguns procedimentos utilizados na produção brasileira de carnes ainda estão fora dos padrões exigidos pela Rússia. Estes pontos foram passados ao Ministério da Agricultura. Ele disse ainda que a Rússia pretende comprar mais carne do Brasil, mas que antes vai ser preciso acertar esses detalhes. Para o diretor do programa de área animal do ministério, Márcio Rezende, as exigências russas vão além dos padrões do mercado internacional, porque o país não participa da Organização Mundial do Comércio.

Os exportadores brasileiros admitem que outra preocupação da Rússia no momento é o excesso de concentração da industria. Atualmente, três grupos respondem por cerca de 80% das exportações. Nesta ultima visita, a missão russa vistoriou 10 novas plantas que ainda não estão habilitadas a exportar. O objetivo seria ampliar o numero de fornecedores.

O resultado da missão deve ser encaminhado ao governo brasileiro dentro de 30 dias.

Ascom – Armênio

Fonte: Canal Rural

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *