Brasil e Estados Unidos discutem retomada das exportações de carne

“O Brasil deve voltar a exportar carne bovina processada aos Estados Unidos”. A afirmação é do diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Nelmon Oliveira da Costa, que se reúne com diretores do Serviço de Inspeção Americano, nos dias 8 e 9 de julho, em Washington (EUA).

            No encontro, o governo brasileiro apresentará o resultado das análises dos planos de ação de 40% das empresas habilitadas à exportar para aquele mercado. “Entre as medidas adotadas pelas indústrias, estão a seleção de fornecedores de bovinos para abate, participação em campanhas sobre o uso correto de medicamentos veterinários e análises de matérias que serão utilizadas na elaboração dos produtos finais”, ressalta Costa.

            Manual – Como parte do plano de ação do governo, o Departamento de Fiscalização de Insumos Pecuários (DFIP) elaborou cartilha sobre o uso correto de medicamentos veterinários em animais de produção. O material está sendo distribuído nas unidades locais de atenção veterinária e nas revendas de produtos veterinários das unidades da federação. “O público-alvo são os pecuaristas, que precisam respeitar os prazos de carência de aplicação do medicamento antes de destinar o animal para o abate”, lembra Costa.

           Estão em processo de revisão os registros de medicamentos veterinários, com o objetivo de dar maior destaque aos prazos de carência. A informação contida na bula também será colocada na embalagem. “Vamos continuar com o Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes e auditar as empresas fabricantes para verificar o cumprimento dos requisitos de autocontrole para assegurar a qualidade dos produtos”, enfatiza Costa.

            Laboratórios – A metodologia de análise de ivermectina aplicada pelos americanos foi conferida pela área laboratorial do Ministério da Agricultura, no período de 24 a 30 de junho, para analisar a condição de implantação da técnica no Brasil. “Serão necessárias pesquisas para confirmar se há equivalência na análise de ivermectina realizada no produto processado  com a da matriz (fígado e músculo), já usada no Brasil. “Dentro de um mês devemos ter um posicionamento definitivo sobre a factibilidade de adotarmos essa técnica no Brasil” destaca o coordenador-geral de Apoio Laboratorial do Mapa, Jorge Caetano.

           Mais informações sobre a cartilha de uso de medicamentos veterinários no site www.agricultura.gov.br, ícone Serviços/Produtos Veterinários/Comunicações Técnicas.

 

 

Ascom – Armênio

Fonte: MAPA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *