MT: PRODUTORES PARTICIPAM DO DIA DE CAMPO DA CULTURA DO CACAU EM BRASNORTE

Brasnorte/MT
Mais de 140 pessoas, entre produtores rurais, técnicos agropecuários e estudantes participaram do Dia de Campo e Terceiro Encontro dos Produtores de Cacau, no município de Brasnorte (579 km a Noroeste de Cuiabá). O evento aconteceu na fazenda Pica Pau, do produtor rural, Ivo Neumann, localizada na Estrada Rio do Sangue. Na propriedade possui uma plantação com 13 hectares de cacau, consorciada com seringueira, bananeira e cultivada em Sistemas Agroflorestais (Saf’s). A primeira colheita do fruto começou em abril.
O produtor Ivo, pioneiro no cultivo da cultura, começou a atividade em 2006, preocupado com os baixos rendimentos com a criação de gado de corte, buscou na lavoura de cacau a diversificação de renda da propriedade. Ele conta que seu pai plantou uma muda de cacau no terreiro de sua casa e ficou entusiasmado com o crescimento da planta e com o valor comercial do cacau e dos diversos subprodutos que poderiam ser produzidos com o fruto. A casca do cacau é uma excelente ração para o gado e muito utilizada no período de seca do ano.
O engenheiro agrônomo da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Robson Vicente de Almeida Lobo, fala que o produtor Ivo, plantou 13 mil mudas de cacau e já está fazendo a primeira colheita, que se encerra em junho. A expectativa é colher em torno de 600 quilos por hectare de semente seca. Lobo explica que o rendimento é razoável e acredita que no nono ano (2015) de plantio, a produção pode passar de mil quilos por hectare. Hoje o quilo da semente seca do cacau está sendo comercializado por R$ 4,00.
Conforme Robson, na região, quatro produtores estão interessados em cultivar a cultura do cacau em Sistemas Agroflorestais, ou seja, em formas de uso ou manejo da terra, nos quais combinam espécies arbóreas (frutíferas e madeireiras) com cultivos agrícolas de forma simultânea ou em seqüência e que promovem benefícios econômicos e ecológicos. Os Saf’s apresentam como principais vantagens, a recuperação da fertilidade dos solos, o fornecimento de adubos verdes, o controle de ervas daninhas, entre outras.
Alguns produtores estão utilizando os Sistemas Agroflorestais na recuperação de áreas degradadas com o cultivo de várias culturas tais como, seringueira, bananeira, cumbaru junto com o cacau. A cultura do cacau necessita de sombreamento e a seringueira permite a sombra necessária para o desenvolvimento da planta, que não utiliza produtos químicos. “O sistema Saf’s é uma alternativa viável para os produtores da região”, esclarece Robson.
Para desenvolver a cultura foi preciso buscar informações técnicas na Empaer, Secretaria de Desenvolvimento Rural de Brasnorte, Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), no escritório regional de Alta Floresta, que deu apoio técnico decisivo para a tomada de decisão em plantar cacau e projeto do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) que presta assistência técnica e extensão rural aos produtores tradicionais . O Dia de Campo e o Terceiro Encontro dos Produtores de Cacau aconteceu no dia 21 de abril.
Fonte: Governo do Mato Grosso
Ascom – Armênio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *