Estudantes da FTC conhecem processamento do chocolate da CEPLAC

Estudantes do segundo semestre do curso de graduação em Nutrição do campus Itabuna da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) conheceram todas as fases de processamento do chocolate no Centro de Desenvolvimento e Capacitação Tecnológica da Ceplac, incluindo a classificação das amêndoas de cacau e suas análises química, microbiológica e sensorial nos laboratórios do Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec). O grupo percorreu, na manha de quinta-feira, 8, parte da Superintendência da instituição na Bahia acompanhado pela professora Iana Leite.

Durante a visita, os alunos da disciplina Bromatologia estiveram nos laboratórios de microbiologia, aonde puderam acompanhar análise química e microbiológica de alimentos. Na seção de pós-colheita assistiram o trabalho de exames físico-químico das amêndoas de cacau e de produtos alimentícios para se descobrir acidez, Ph e quantidade de gordura. Também viram a preocupação dos técnicos e pesquisadores do Centro de Pesquisas do Cacau com o controle de qualidade, incluindo as formulações desenvolvidas pela Ceplac para projetos de fábricas de chocolate de associações e cooperativa de produtores.

A professora Iana Leite afirmou que a visita foi importante para os alunos pela oportunidade de acompanhar análises de coliformes totais e de Escherichia coli e outras bactérias que a maioria deles não conhecia. “Foi importante para os estudantes porque viram que, antes de chegar à mesa do consumidor, há preocupação quanto à sanidade dos alimentos e todo um rigor técnico de seleção que se inicia com a coleta do fruto, passando pela fermentação das amêndoas e o processamento final do chocolate numa demonstração do grau de excelência da instituição”, comentou.

Para a estudante Márcia Leite, a visita trouxe não só conhecimentos técnicos ao grupo, mas a demonstração de como o cacau é processado antes de se transformar no delicioso chocolate ao consumidor. “Os laboratórios da Ceplac são bem estruturados, há equipamentos de última geração e um pessoal altamente qualificado, o que demonstra o profissionalismo que pouca gente pode conhecer tão de perto. O que aprendemos aqui terá importância na formação profissional e no desenvolvimento do curso”, expressou, destacando que jamais tinha visitado a Superintendência da Ceplac, embora seja natural da Região Cacaueira baiana.

A chefe da Seção de Tecnologia e Engenharia Agrícola do Cepec, Neide Alice Marques Pereira, declarou que alunos de diversas instituições têm conhecido as fases de processamento do chocolate e se impressionado com o avançado nível tecnológico da Ceplac. “A gente trabalha com a pós-colheita do cacau e análises físico-químicas das amêndoas e alimentos e isto tem interessado a graduandos de cursos de Nutrição. Na fábrica-piloto, os estudantes vêem a transformação em chocolate e o controle de qualidade. Este grupo pode assistir, inclusive, ao trabalho do pessoal do Setor de Classificação de Cacau que avalia amostras que serão enviadas à França para o Salão do Chocolate de Paris, previsto para o mês de outubro”, concluiu.

Ascom-Rezende

Fonte: Ascom/Ceplac


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *