EBDA distribui sementes para agricultores do Programa Brasil sem Miséria

Com as chuvas que começam a cair no Território de Irecê, renovam-se as esperanças de milhares de agricultores que cultivam milho e feijão, na região. Este ano, porém, um diferencial se apresenta para muitos destes agricultores: com as chuvas, chegam também sementes selecionadas de milho e feijão, entregues pela Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S.A. (EBDA), vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), aos agricultores familiares cadastrados pelo Programa Brasil sem Miséria. Junto a esta ação, o programa também visualiza a inclusão social e produtiva dos beneficiários com garantia de renda e acesso às políticas públicas.

São mais de 3.600 famílias agrícolas, em situação de extrema pobreza – com renda de até R$70,00/mês, por familiar -, os beneficiários do programa nos municípios de Ibipeba, Lapão, Irecê, São Gabriel, Cafarnaum, Canarana, Presidente Dutra, Central, Mulungu do Morro, Ibititá, Uibaí, Barro Alto, América Dourada, João Dourado e Jussara, na região de Irecê. Entre estes agricultores, está o agricultor familiar de Lapão, Tiago Souza Ferreira (25), casado com Josina da Silva Lima (23), pai de Débora, Iago e Ilana, respectivamente com 8, 3 e 1 ano de idade. Há dois meses, Tiago chegou de São Paulo, onde foi trabalhar na construção civil, na expectativa de levantar recursos para manter a família. Não aguentou a saudade e voltou. “É muito triste viver longe de quem a gente ama”, afirmou o jovem, que pretende, com o programa, melhorar a vida e não precisar mais distanciar-se da família para sustenta-la.

Para plantar milho, Tiago já tem 5,5 tarefas aradas, numa área cedida pelo pai, no fundo de sua casa – com dois cômodos, onde mora toda a família -, no povoado Lajedo de Eurípedes, distante 20 quilômetrosda sede do município. Também próximo da casa, há aproximadamente dois quilômetros, está a Fazenda Ferreira, de sua propriedade, com sete tarefas, que ainda está sendo roçada para plantar mais milho consorciado com feijão, e onde já tem uma “rocinha” de mamona. No quintal, nem fruteira, nem hortaliças ou outro tipo de cultura. Apenas algumas galinhas para o consumo da família.

Esta é a realidade da grande maioria das famílias já selecionadas pelo Brasil sem Miséria, no Território de Irecê, que a EBDA, além da entrega de sementes, também será responsável pela prestação de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), na perspectiva de melhorar a condição de vida dos agricultores, com inclusão produtiva e social das famílias. “Se chover certo estas sementes vão me ajudar muito. Posso bater até 60 sacos de milho”, disse, esperançoso, Tiago Ferreira, ao receber da mão dos técnicos da EBDA, sementes selecionadas de milho e feijão. “Nunca tive essa oportunidade. Vou fazer tudo do jeito que me ensinarem”, afirmou o agricultor.

Ações

Segundo o engenheiro agrônomo da EBDA, Daniel Botto, responsável pela assistência a Tiago, além de milho, feijão e mamona, a propriedade tem potencial para promover a inclusão produtiva da família, com a diversificação de culturas. “A área pode ser aproveitada para a criação de galinhas, porcos e caprinos, de forma racional, formação de pequena área com pastagem e plantio de palma forrageira, adensada, construção de um galinheiro e de pocilga, além de uma área para instalação de um pomar e de uma horta doméstica, que ajudará na segurança alimentar da família. O excedente da produção também pode ser comercializado e contribuir com a renda familiar”, explicou o técnico, que já visitou a propriedade para estudar as possibilidades da área.

O Programa

Com o objetivo de retirar as populações rural, urbana e periurbana da pobreza extrema, através de três vertentes: Garantia de renda, Inclusão produtiva e Acesso a serviços públicos, o Governo Federal criou o Programa Brasil sem Miséria que envolve diversos ministérios, a exemplo do de Desenvolvimento Agrário (MDA), de Desenvolvimento Social (MDS), de Saúde, de Educação, dentre outros. Para a sua execução, são realizadas Chamadas Públicas, onde os concorrentes apresentam projetos, dentro de normas preestabelecidas, ganhando aquele que oferecer a melhor proposta.

Na Bahia, a EBDA já ganhou cinco das oito Chamadas Públicas do Programa, sendo duas no Território Velho Chico e três no Território Irecê, envolvendo 23 municípios e beneficiando a mais de 5.600 famílias de agricultores.     Nestas localidades, a empresa, que contratou 76 técnicos nas áreas de agronomia, veterinária, assistência social, enfermagem e pedagogia, para atender à este público, está concluindo os diagnósticos das propriedades, onde são identificados e selecionados os agricultores beneficiários. “As equipes multidisciplinares usam como base para a identificação dos possíveis beneficiários, uma relação de agricultores que já fazem parte do Programa Bolsa Família, e têm Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP)”, explicou o coordenador do Lote 4, do Programa, com sede em Cafarnaum, Vinícius de Luna Freire.

“O diferencial deste Programa é que, em um tempo determinado, de 18 meses, espera-se que os agricultores beneficiados apresentem uma mudança na sua qualidade de vida, a partir da inclusão social e produtiva da unidade familiar”, explicou o coordenador do Programa, na Bahia, e engenheiro agrônomo da EBDA, Samuel Feldman. Ele também explicou que o Brasil Sem Miséria prevê desde a identificação da unidade familiar até a comercialização da produção. “Para isto, são envolvidos todos os programas de governo existentes, a exemplo do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), do Programa Saúde da Família (PSF), dentre outros que contribuem com a melhoria da qualidade de vida das famílias mais carentes.

Fonte: SEAGRI/Assimp/EB

Ascom-Rezende


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *