Cacau registra oitava alta em Nova York com forte demanda.

0
cacau-secandoOs contratos futuros do cacau registra­ram nesta terça-feira (27) a oitava alta consecutiva e alcançaram o maior nível em mais de 32 meses na Bolsa de Nova York, em meio a sinais de demanda crescente por chocolate. A commodity foi impulsionada pelos preços da manteiga de cacau, que atingiram o maior pata­mar em cinco semanas. O produto é usado para dar textura ao chocolate, e a alta das cotações levou muitos investidores a comprar futuros da amêndoa. O contrato com vencimento em julho subiu 0,3%, fechando a US$ 3.031 por tonelada. Segundo um analista consultado pela agência Dow Jones, os preços devem recuar se não con­seguirem superar os US$ 3.047. A alta acumulada pelo cacau em maio na Bolsa de Nova York é de 1,7%.
Café
O café arábica cedeu 1,4% e atingiu o menor nível em quase dois meses, com o avanço da co­lheita no Brasil. As lavouras do País foram casti­gadas por uma forte Estiagem nos dois primeiros meses do ano, mas esse aumento temporá­rio de oferta estimulou algumas vendas no mer­cado. Já o açúcar bruto caiu 2%, apesar de da­dos que mostraram queda de produção no Bra­sil na primeira quinzena de maio. De acordo com especialistas, os números já eram espera­dos e foram ofuscados pela expectativa de um excedente global do produto.
 Milho
Na Bolsa de Chicago, o Milho recuou 1,7%, com a avaliação de que o clima seco em áreas produtoras dos EUA contribuiu para o avanço do plantio. Isso se confirmou após o fechamen­to do mercado, quando o governo divulgou rela­tório mostrando que 15% da safra tinha sido plantada somente na semana passada.
Fonte: O Estado de S. Paulo
Decom – Armênio

Os comentários estão desativados.