Brasil e China assinam protocolos para exportação de tabaco e produtos de pet food

0
chinaO Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, confirmou nesta sexta-feira (14) a assinatura de dois protocolos com o governo chinês que abrem as portas deste mercado asiático para as exportações do tabaco produzido em Santa Catarina e Paraná, e retiram suspensão imposta em 2012 para exportação de alimentos destinados a animais de estimação (pet food). Os acordos foram efetivados com o ministro da Agência de Supervisão da Qualidade, Inspeção e Quarentena da China (AQSIQ), Zhi Shuping, em cerimônia que contou também com a participação do secretário de Relações Internacionais do Mapa, Marcelo Junqueira, e do embaixador do Brasil em Pequim, Valdemar Carneiro Leão.
Para o ministro Geller, o Brasil amplia sua participação nas vendas destes produtos para um mercado com demanda consolidada. “Somos um dos maiores exportadores de tabaco do mundo e a China o maior importador. Com esses acordos, estamos inserindo nas negociações entre os dois países estados que, além de grandes produtores de tabaco, possuem os mesmos índices de qualidade e segurança das demais regiões produtoras do País. O mesmo acontece com o segmento dos alimentos pet, que passa a contar com um mercado em condições de absorver de forma imediata a capacidade de produção da indústria nacional”, declara Geller.
No entendimento do ministro, o resultado favorável das negociações se deve à confiança cada vez maior do governo chinês na solidez do sistema de defesa sanitário animal e vegetal do Brasil, que alia fiscalização sistemática com transparência de processos. “Sempre faço questão de destacar a seriedade com que tratamos no Mapa o tema segurança alimentar. Por isso, fiz questão de trazer comigo nesta missão dois técnicos de reconhecida competência na abordagem deste assunto, que são Leandro Feijó, diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA), e Denise Costa, coordenadora-geral de combate à doenças do Departamento de Saúde Animal (DSA).
Até a assinatura do protocolo nesta sexta-feira, somente a produção do estado do Rio Grande do Sul (tabacos claros para cigarros) e dos estados da Bahia e Alagoas (tabacos escuros para charutos) podiam ser embarcados para aquele país. O produto está entre os principais itens da pauta de exportações de Santa Catarina. Em 2013, representou mais de 10% do total dos embarques do Estado, gerando divisas de US$ 883 milhões. Já o Paraná atingiu a cifra de US$ 14,6 milhões em 2013 com a venda do produto para o exterior. A China absorve anualmente um volume expressivo da produção de tabaco do Brasil, com importação de aproximadamente US$ 500 milhões em 2013.
As exportações brasileiras de pet food serão retomadas após dois anos de suspensão imposta pela detecção da presença de proteína de ruminante em uma carga exportada para a China.
Fonte: Mapa
Decom – Armênio
Foto: Arquivo Mapa

 

Os comentários estão desativados.