Histórico da ATEFFA-BA

O marco que indica os primeiros passos para o surgimento da Associação dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária do Estado da Bahia (ATEFFA-BA), mostra a participação do servidor Mário Mendes dos Santos, Agente de Inspeção Sanitária e Industrial de Produtos de Origem Animal, então lotado na Delegacia Federal da Agricultura de Salvador, na segunda reunião da Comissão Nacional Pró-Carreira de Técnico Federal Agropecuário do Ministério da Agricultura e do Abastecimento ocorrida no dia 09 de novembro de 2000 na cidade de Brasília.

Em reunião anterior fora criada uma comissão para representar e defender os interesses das categorias de Agente de Atividades em Agropecuária, Agentes de Inspeção Sanitária e Industrial de Produtos de Origem Animal, Técnico de Laboratório, Auxiliar de Laboratório e Auxiliar Operacional em Agropecuária.

Após a primeira participação na segunda reunião com a comissão nacional, o servidor Mário Mendes, eleito coordenador da comissão Pró-Carreira do estado da Bahia, passou a participar dos encontros nacionais e para isto os colegas cotizavam-se e depositavam os recursos na conta poupança nº 110.773-9 variação 01 Agência 0346-8 Banco do Brasil.

Em 21de janeiro de 2003, uma portaria interministerial publicada no Diário Oficial União – seção 2 – em cumprimento ao mandado de segurança nº 8468/DF re-enquadrou judicialmente 17 Técnicos Agrícolas da CEPLAC, Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira no Cargo de Agente de Atividades em Agropecuária do PCC (Plano Geral de Cargos e Salários do Servidor Público Federal) e, entre eles, estava Afrânio Jorge Andrade Freitas que já vinha acompanhando as ações desenvolvidas pela Comissão Nacional Pró-Carreira de Técnico Federal Agropecuário do Ministério da Agricultura, transformada em 27 de agosto de 2002, na ANTEFFA, Associação Nacional dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária.

Após este re-enquadramento, Afrânio intensificou sua interação com a direção da ANTEFFA.

Em 02 de setembro de 2003 recebeu um convite para participar do I Encontro Nacional dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária, evento promovido pela ANTEFFA e realizado na cidade de Morrinhos no Estado de Goiás.

Afrânio Freitas colocou o assunto em Assembléia para conhecimento dos associados da STAC, Associação Profissional dos Técnicos Agrícolas do Cacau – entidade de classe de tradição no Sul da Bahia – que com o apoio do SINTSEF-BA, Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Estado da Bahia, garantiu sua participação e a do Técnico Agrícola, Luiz Carlos Pereira Vieira no encontro.

Ao retornarem, foi escrito um boletim informativo e distribuído á categoria de Técnico Agrícola da CEPLAC. A partir daí, toda a categoria passou a se interessar sobre as ações da ANTEFFA.

Já em abril de 2002, sob a liderança de Afrânio, foi constituída uma comissão de Técnicos Agrícolas, formada por Afrânio Freitas, José Bezerra da Rocha, Eduardo Catarino dos Santos, Wasingthon Farias de Cerqueira, Luiz Carlos Pereira Vieira e Edwaldo Pinheiro de Santana Filho; além da participação do diretor adjunto da CEPLAC, também Técnico Agrícola, Everaldo Anunciação Farias.

Objetivo: Organizar um encontro desta comissão com o Presidente e Secretário Geral da ANTEFFA, respectivamente Raimundo Celso e Jacir Massi, com a finalidade de conhecer a CEPLAC, discutir as estratégias da criação da carreira de Técnico de Fiscalização Federal Agropecuária e apresentar à Assembléia Geral da STAC, realizada em 02 de maio de 2002, todas ações da ANTEFFA.

No dia 05 de julho de 2005, o Técnico Agrícola e Agente de Atividades em Agropecuária, Afrânio Freitas, reuniu-se no auditório da CEPLAC, situado no Km 22 da rodovia Ilhéus/Itabuna, com outros 57 (cinqüenta e sete) companheiros da mesma categoria e fundaram a ATEFFA-BA, Associação dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária do Estado da Bahia, que, inicialmente, passou a funcionar na sede da STAC, Associação Profissional dos Técnicos Agrícolas do Cacau, situada no Km 11 da rodovia Ilhéus/Olivença. A primeira diretoria da ATEFFA-BA ficou assim constituída:

DIRETORIA EXECUTIVA
Presidente: Afrânio Jorge Andrade Freitas

Vice Presidente: José Bezerra da Rocha

Secretário Geral: Orlando de Castro Paternostro

Primeiro Secretário: Wasingthon Farias de Cerqueira

Tesoureiro Geral: Lusimar de Cerqueira Dortas

Primeiro Tesoureiro: Roberto Alves de Brito Cunha

CONSELHO FISCAL
Armênio Santana Pereira

Luiz Carlos Pereira Vieira

José Conceição Santana

Edwaldo Pinheiro de Santana Filho

Moacir José do Nascimento

SUPLENTES
Écio Almeida Soares

William Souza da Silva

Euvaldo Marques Moura

Moacir José do Nascimento